June 17, 2018 at 05:44AM

By 17/06/2018Instagram

Lembro até hoje o dia que me libertei do conceito de dietas proibitivas, de ter que ficar restringindo ou proibindo o que comia, de “não comprar para não ter em casa e não cair na tentação” (aliás, não sou fã dessa prática, porque não acho que é por aí que a mudança acontece), de ter que ficar alerta para eliminar qualquer tipo de “ameaça” à dieta proibitiva, de proibir grupos de alimentos, especialmente em combinação com restrições de horários para comer (achar que só posso comer alimento x no horário y). Enfim, eram tantas práticas restritivas ou proibitivas exaustivas que eu não percebia, porque vivia imersa nelas e no conceito de escassez como estratégia de mudança. Kurt Lewin, um grande nome na área de Teoria de Mudança, fala que a PRIMEIRA fase da mudança é o estágio de “descongelar” crenças ou formas antigas de ver a realidade, libertar de atitudes restritivas e compreender que a maneira atual de ver e viver a situação não está funcionando para permitir mudança. É preciso entender a motivação para a mudança, quebrar paradigmas e se libertar, porque dessa forma você está se preparando para a mudança acontecer. Essa costuma ser a fase mais desafiadora, mas se conseguimos passar por ela, um mundo inteiro de novas possibilidades se abre à nossa frente. A melhor técnica, na minha opinião e experiência, para gerar mudanças é a de ACRESCENTAR (abundância) e não RESTRINGIR ou TIRAR (escassez). Nosso cérebro DETESTA ESCASSEZ e vai fazer de tudo para lutar contra isso. Pode ser por isso que uma das sensações mais comuns em pessoas que estão fazendo dieta proibitiva para emagrecer é de LUTA. Não é natural e a mudança SUSTENTÁVEL (aquela que é possível e agradável manter na vida) NÃO acontece dessa forma. Repense suas atitudes com profissionais capacitados para te orientar! Suas soluções são ÚNICAS por isso é preciso investigar e conhecer a sua história. Descubra-se! #libertese Via Instagram https://ift.tt/2tjopp8

Comentários

comentarios